ÁREA DO ASSOCIADO

17/01/2015

Pesquisa mostra que desemprego é principal causa de inadimplência



Pesquisa mostra que o desemprego continua sendo o principal motivo da inadimplência. O brasileiro não costuma fazer poupança e quando perde o emprego não tem nenhuma reserva.
A perda do emprego foi a justificativa mais frequente quando os pesquisadores perguntaram porque o consumidor não pagou suas contas. A segunda razão da inadimplência foi o descontrole. Em seguida, o empréstimo de nomes, depois a diminuição de renda e as despesas extras.
A grande maioria dos devedores atrasou as contas em mais de três meses e 19% dos devedores deixaram de pagar a prestação na compra de móveis, eletrodomésticos e eletrônicos. Outros 19% não conseguiram pagar condomínio, aluguel, celular e outros serviços.
Depois aparecem as dívidas feitas com roupas e sapatos, alimentação, água, luz, telefone, TV a cabo, gás, empréstimo pessoal, material de construção, financiamento de veículo e prestação da casa própria.
Hoje, em cada grupo de cem brasileiros, menos de cinco estão desempregados. Quem fica sem trabalho, não demora pra conseguir uma oportunidade.
O motivo da inadimplência é a falta de reserva. Muita gente não guarda nada e, entre sair de um emprego e começar outro, não tem como pagar as contas.
O segurança Bruno de Almeida Pires não tinha nenhuma reserva. Em seis meses sem emprego já se enrolou. “Olha, eu guardei um pouco, mas poupança em banco mesmo não”.
“Muita gente diz: não sobra para poupar. A poupança não é a sobra. A poupança tem que ser aquilo que você coloca no orçamento e se compromete com aquilo. Da mesma forma que você cria R$ 50 por mês para a pizza de fim de semana, coloque R$ 50 para a poupança. E coloque sempre no começo do mês. Dinheiro caiu na conta já faça poupança. Compromisso com você”, sugere Fernando Cosenza, diretor de sustentabilidade da Boa Vista SCPC.


voltar